Investindo na Vida


 

Você já pensou sobre como irá pesar, algum dia, o valor de sua vida? Que critério espera usar nessa avaliação?

Por Rick Warren

 

Praticamente todos os dias recebo correspondência tentando atrair meu interesse para algum tipo de investimento financeiro. Embora investir finanças com sabedoria seja algo inteligente a fazer, notei que muitos que planejam diligentemente como investir seus rendimentos, nunca tentaram considerar e planejar como investir suas vidas.

Ao chegar ao final de sua vida, como você poderá determinar o valor dela? Que critério de avaliação pretende usar? Para fazer uma pergunta mais imediata, como você está investindo sua vida neste exato momento? Que tipo de retorno ou dividendo você espera receber pelo investimento de sua vida? Na realidade você tem somente três opções para considerar:

Pode DESPERDIÇAR sua vida. Existem incontáveis maneiras de fazer isso; é só olhar à nossa volta. Muitos não fazem absolutamente nada com sua vida. Simplesmente existem – ocupam espaço e consomem oxigênio. Não fazem nenhuma contribuição com sua vida: suas horas são consumidas com atividades sem sentido ou absolutamente nenhuma.

Pode GASTAR sua vida. Existem muitas maneiras de gastar sua vida. Você pode se entregar a uma carreira, a um hobby, uma experiência ou viagem, ou qualquer tipo de ocupação que capture seu interesse ou o seduza a dedicar seu tempo, energia e recursos a ela. Um indivíduo comum passará em média 29.962 dias neste planeta. A pergunta é: como gastar esses dias?

Pode INVESTIR sua vida. A Bíblia nos ensina que o melhor uso para nossa vida na Terra é investi-la em algo que permaneça depois dela. Isso envolve um olhar de longo alcance – manter perspectiva de longo prazo. É interessante como as coisas podem mudar quando adquirimos uma perspectiva eterna.

A Bíblia fala frequentemente sobre o valor e importância de se manter uma perspectiva eterna do viver temporal. Muitas das histórias que Jesus ensinou giram em torno do tema investimento. Em Mateus 25.14-30, por exemplo, Ele contou a história de três homens que ficaram responsáveis pelos bens de seu senhor. Dois deles investiram sabiamente e foram recompensados; o terceiro não o fez e foi punido. Em histórias bíblicas como esta, vemos princípios para nortear o investimento de nossa vida:

▪ PROPRIEDADE. Tudo o que possuímos realmente pertence a Deus. Tudo o que temos nos foi emprestado pelo tempo em que estivermos na Terra.

▪ DOTAÇÃO. Deus estrategicamente nos dá talentos e habilidades específicos quando nascemos.

▪ RESPONSABILIDADE. Deus espera que usemos os talentos que nos concedeu. Um dia prestaremos contas a Ele do que fizemos com o que Ele nos deu.

▪ UTILIZAÇÃO. Usar nossos talentos plenamente envolve riscos e requer fé em Deus.

▪ MOTIVAÇÃO. O que nos impede de desenvolver nossos talentos é o medo – relutância em nos aventurarmos fora da “zona de conforto”.

▪ APLICAÇÃO. Se não usarmos nossos talentos vamos perdê-los.

▪ COMPENSAÇÃO. Se usarmos nossos talentos do modo planejado por Deus Ele nos recompensará. Romanos 2.6 nos assegura que “Ele recompensará cada um de acordo com o que fez”.

 

Para assinar ou cancelar – Maná da Segunda

Anúncios