Problema por Falta de Problemas


 

Problema por Falta de Problemas

Por Robert J. Tamasy

Quem não gostaria de uma semana – ou um único dia – sem ter que enfrentar problemas ou desafios?

Parece que não podemos sair da cama pela manhã sem ter que lidar com algum tipo de problema: acordar com um resfriado daqueles; a caminho do trabalho começa a chover e o guarda-chuva ficou em casa; determinados a concluir importante tarefa antes do prazo e descobrir que o colega deixou de fazer sua parte na proposta.

Alguns dias parecem confirmar a Lei de Murphy: tudo o que pode acontecer de errado vai acontecer.

Por que não podemos desfrutar das delícias de uma existência livre de problemas?

Uma resposta é óbvia: somos apenas humanos. Cometer erros faz parte da “lista de tarefas” dos seres humanos. Vivendo num mundo imperfeito e imprevisível, problemas são inevitáveis.
Mas talvez exista uma razão maior, mais imperativa, para a existência dos problemas. Quem sabe até mesmo um benefício. Vemos exemplos na natureza. A lagarta forma o casulo por instinto. Mas para que seja bem-sucedida e se transforme em borboleta precisa enfrentar um problema: lutar para sair do casulo.

Artesãos podem confirmar que a madeira é mais rija e útil quando produzida em ambientes difíceis, onde condições climáticas adversas (problemas) levam a árvore a crescer mais lentamente; mas ao mesmo tempo, mais forte.
No ambiente de trabalho descobrimos uma realidade: aprendemos mais através do fracasso do que do sucesso. “Não trabalhei com o empenho devido”; “Omiti detalhe fundamental”; “Subestimei a concorrência (ou superestimei o mercado)”. Ao experimentar o sucesso podemos não saber se foi decorrência de boa fortuna– estar no lugar certo, na hora certa – ou de fatores fora do nosso controle.
Problemas têm um jeito peculiar de moldar nosso caráter, ainda que o processo exija humildade ou mesmo humilhação.

A Bíblia nos exorta: “Não se achem melhores do que realmente são…” (Romanos12.3).

Problemas nos lembram nossas limitações, dissipando nossas pretensões de auto-suficiência.

Seja em questões de saúde ou financeiras, lutando com decisões além da nossa capacidade, acabamos por tomar consciência que precisamos de ajuda.

Assim, ao se deparar com problemas que o deixam angustiado, considere:
Problemas devem ser encarados de forma positiva.

– Ao invés de murmurar, devemos aceitar os problemas e procurar colher valores positivos ao trabalhar para resolvê-los.

“Não só isso, mas também nos gloriamos nas tribulações, porque sabemos que a tribulação produz perseverança; a perseverança um caráter aprovado; e o caráter aprovado, esperança” (Romanos 5.3-4).
– Problemas estimulam o senso de equipe. Um grupo de bois trabalhando em conjunto move mais peso do que cada animal sozinho.

– Problemas atestam que podemos realizar mais coletivamente do que individualmente. “Dois homens podem resistir a um ataque que derrotaria um deles se estivesse sozinho. Uma corda de três cordões é difícil de arrebentar” (Eclesiastes 4.12).
– Problemas podem nos levar para Deus. Sem problemas cremos que podemos lidar com qualquer coisa. Mas ao enfrentar circunstâncias difíceis, nossa inadequação torna-se evidente, levando-nos a recordar que necessitamos da intervenção de Deus.

“A minha graça é tudo o que você precisa, pois o Meu poder é mais forte quando você está fraco” (2 Coríntios 12.9).
Para assinar ou cancelar – Maná da Segunda

Anúncios