Estratégia de Marketing de Deus


Estratégia de Marketing de Deus

Por Robert J. Tamasy

 

Marketing é tudo – pelo menos é o que dizem.

É preciso criar identidade com o cliente.

Encontrar um nicho para nosso produto ou serviço.

Trabalhar para firmar uma marca reconhecível.

Lutar por visibilidade e permanecer em primeiro lugar na mente de clientes e consumidores quando necessitarem de algo que tenhamos para oferecer.

Conquistar mais “fatia do mercado”! Como fazer isso?

Temos diversas opções: dar entrevista coletiva à imprensa; imprimir folhetos coloridos e atraentes; criar um site avançado, de alto impacto; dar entrevistas na TV, rádio e jornais; contratar um relações públicas; formular estratégia multimídia de propaganda; ter um personagem famoso avalizando o produto.

Ao celebrar o natal no final desta semana, parece que Deus deixou o marketing de lado. Se não, as circunstâncias que cercaram o nascimento do Cristo teriam sido tratadas de maneira diversa.

Consideremos o seguinte:

(1) Jesus, o Filho de Deus, nasceu no pequeno e obscuro vilarejo de Belém, que não era rota comercial importante, tampouco um lugar que chamasse atenção;

(2) sem “orçamento” para marketing, os pais de Jesus careciam de fundos até para alugar um quarto de hotel decente; seu bebê nasceu num humilde estábulo,cercado por animais e tendo por berço uma manjedoura;

(3) não havia “mídia” a levar em conta; a imprensa levaria 1.500 anos para ser inventada; foto, rádio e TV não eram nem mesmo ficção na imaginação de alguém. A lista poderia ir longe.

Um famoso hino de natal diz, “Ouça os Anjos Mensageiros Cantar”. Eles foram os únicos a fazer uma proclamação formal.

As primeiras testemunhas em cena foram pastores anônimos sem nenhuma influência na dominante cultura romana. Mesmo assim, dentro de dias, milhões de seguidores em todo o mundo celebrarão o nascimento de Jesus Cristo. Como isso pode ter acontecido sem qualquer ação de marketing?

Porém, isso se realizou pela implementação de princípios comumente adotados no mundo de negócios.

Vejamos: Clientes satisfeitos.

A melhor propaganda é feita quando as pessoas pessoalmente atestam o valor de um produto que usaram ou experimentaram.

Sem salários ou comissões, eles são “clientes satisfeitos”.

“…Esses homens que têm causado alvoroço por todo o mundo, agora chegaram aqui”(Atos17.6).

Testemunhos de excelência. Quando clientes ou consumidores estão entusiasmados com um bom serviço, ficam ansiosos para alardear isso para outras pessoas.

“O que era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que contemplamos e as nossas mãos apalparam, isto proclamamos a respeito da Palavra da vida…

Nós lhes proclamamos o que vimos e ouvimos para que vocês também tenham comunhão conosco” (I João 1.1-3).

Promessas cumpridas. É comum exagerar a competência de produtos ou serviços. Mas quando entregamos o que prometemos, ganhamos um cliente para toda a vida.

“Mas receberão poder quando o Espírito Santo descer sobre vocês, e serão Minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra” (Atos 1.8).

Feliz Natal!

 

Maná da Segunda

 

Anúncios