Aumento de risco em dietas de proteínas


 

Aumento de risco em dietas de proteínas

Dietas com baixo consumo de carboidratos, como a de Atkins, ajudam as pessoas a perder peso.

 

 

Porém, aqueles que simplesmente substituem o pão e as massas por calorias de proteína e gordura animal podem enfrentar um aumento no risco de desenvolver prematuramente doenças cardíacas e câncer, segundo um novo estudo.

 

O estudo descobriu que a taxa de mortalidade entre pessoas que aderiram mais seriamente ao regime das proteínas era 12% maior, ao longo de aproximadamente duas décadas, do que entre aqueles que consumiram dietas ricas em carboidratos.

 

Mas as taxas de mortalidade variavam, dependendo das fontes de proteína e gordura usadas para substituir os carboidratos.

 

As pessoas que retiravam mais proteínas e gordura de fontes vegetais, como feijões e nozes, apresentaram uma chance 20% menor de morrer ao longo do período do que as pessoas numa dieta com alto teor de carboidratos.

 

Mas aqueles que obtinham a maioria de sua proteína e gordura de fontes animais, como carnes vermelhas e processadas, tinham 14% mais chances de morrer de doenças cardíacas e 28% mais chances de morrer de câncer, segundo a análise.

 

O estudo, publicado em 7 de setembro em "Annals of Internal Medicine", analisou dados de mais de 85 mil mulheres saudáveis, entre 34 e 59 anos, que participaram do Estudo de Saúde das Enfermeiras, e quase 45 mil homens entre 40 e 75 anos que participaram no Estudo de Acompanhamento dos Profissionais de Saúde.

 

Os participantes responderam a questionários a cada quatro anos.

 

"Se as pessoas querem seguir uma dieta de baixo consumo de carboidratos, isto pode proporcionar algum direcionamento", disse a principal autora do artigo, Teresa T.

 

Fung, professora associada de nutrição no Simmons College, em Boston.

 

"Eles provavelmente deveriam comer menos carne".

 

© 2010 New York Times News Service

Yahoo! 

Anúncios