O corpo fala


 

O corpo fala

 

Existe um livro com o título desse post “O Corpo fala”, já até publiquei alguns itens relacionados.

 

Como corpo de Cristo, nós também estamos dizendo o que está acontecendo com a Igreja ao vislumbrarmos nossa maneira de viver.

 

O tecido: a pele que nos reveste, seria a aparência que a Igreja vem tomando; como dizia minha avó: “por fora bela viola, por dentro, pão bolorento”.

 

Jesus diz aos apóstolos quanto a multiplicar os pães para aquela multidão: “daí vós mesmos a eles de comer”, isto é, Jesus estava dizendo: alimente a multidão com sua atitude, pegue o cesto vazio e vá distribuir os alimentos. E sem questionar todos os doze, foram e distribuíram o alimento.

 

Pasme, até Tomé! Porque a Bíblia é clara, e não omite nada, se este tivesse tido sua crise de fé aqui, teria sido relatada pelos evangelhos dos apóstolos.

 

Sua crise de fé e de muitos só ocorre após a morte e sacrifício de Jesus na cruz, o que significa dizer que ele só sentiu solidão quando não podia mais tocar e visualizar fisicamente a presença do Mestre Jesus.

 

E isto é o que ocorre em muitos casos no seio da Igreja, as pessoas buscam por sinais, querem tocar na chaga das mãos do Mestre Jesus Cristo, querem saber se realmente um corpo morto pode tornar a viver.

 

Como disse Jesus: E, ajuntando-se a multidão, começou a dizer: Maligna é esta geração; ela pede um sinal; e não lhe será dado outro sinal, senão o sinal do profeta Jonas; (Lc 11:29)

 

Então, devemos deixar de ser meninos inconstantes levados em roda por todo vento de doutrina e nos permitir sermos aqueles que irão levar os cestos vazios para distribuir o pão do céu, que procede do Pai.

 

Mesmo que não estejamos fazendo ou vendo os sinais, o Espírito Santo nos garante a boa companhia.

 

Amém.

 

Cristina Menosehmais

 

Anúncios