O Poder da Ideia


 

O Poder da Ideia
Por Robert D. Foster

 

Ao longo do ano passado li uma variada seleção de cerca de trinta livros, mas um permaneceu preso ao meu coração: “O Menino Que Pôs Arreios No Vento”, de William Kamkwamba e Bryan Mealer. O livro fala de Billy, um menino de 14 anos, que vivia em Malawí, sudeste da África, numa pequena aldeia flagelada pela seca. Ele e sua família, como todos na aldeia, viviam sem água encanada ou eletricidade. Não havia dinheiro, educação ou oportunidades. Mas Billy – William Kamkwamba – tinha uma ideia.

 

William se recusava a desistir de seus sonhos. O autor escreve: “Sem nada além de um punhado de fubá no estômago, pequena pilha de livros ultrapassados sobre ciências, cheio de curiosidade e determinação, ele embarcou em um ousado plano para proporcionar sua família uma série de confortos que somente dois por cento dos malawianos podem se dar ao luxo de desfrutar.” Do depósito de lixo da aldeia recolheu todo tipo de material para construir um moinho de vento que virou a piada da comunidade, até o dia em que o sonho se transformou em realidade: água foi bombeada de um poço e forneceu energia suficiente para acender uma lâmpada na choupana de sua família.

 

O poder de uma ideia (ou de um sonho) é o mecanismo que pode transformar o modo como vivemos e pensamos. Na década de 70, tendo desistido de cursar o segundo grau, Bill Gates teve uma ideia que levou a uma imensa companhia de softwares. Cada uma das mais de 4.000 empresas listadas na Bolsa Nasdaq extraiu sua força de uma ideia, a centelha que as levou a surgir. 

 

“Senhor, dê-me uma ideia!” – esta foi a oração de um homem simples chamado Dawson Trotman, que se tornou o fundador do "The Navigators" (Os Navegadores), organização mundial que Deus tem usado para atingir incontáveis milhares de vidas.

 

No final da década de 50, minha esposa Marian me disse: “Bob, isto é algo que podemos fazer.” Sentados à beira da piscina do rancho "Tanque Verde Guest", em Tucson, Arizona, uma semente criou raízes e germinou, transformando-se no rancho "Lost Valley", um recanto para hóspedes que estabelecemos no Colorado.

 

A hora em que temos uma ideia, contudo, nem sempre é o momento de nos lançarmos à ação. Ás vezes, o melhor a fazer é esperar pelo tempo oportuno, recursos e pessoas que se encaixem no plano para que a ideia se realize. Se você tem uma ideia, não importa o quanto ela pareça boa, deixe-a de lado. Dê tempo para que Deus faça Seu trabalho. Os passos a serem adotados depois que uma ideia se estabelece são: orar, planejar e preparar-se.

 

Olhando para os cinquenta anos passados me vejo como um garoto (embora já tivesse 40 anos) que humilde e sinceramente laçou o vento do chamado do Espírito Santo, ousando fazer algo sobre o qual eu nada sabia, desejando confiar em Deus para transformar uma simples ideia em realidade. 

 

Existem rios que lhe parecem intransponíveis? Há montanhas sem túneis para que você as possa atravessar? Acredite, Deus é especialista em fazer coisas que alguém pensou serem impossíveis.

 

Ele pode realizar o que ninguém mais pode. Afinal, Ele promete:“Clame a Mim, e Eu responderei e lhe direi coisas grandiosas e insondáveis que você não conhece” (Jeremias 33.3).

 

Próxima semana tem mais!

 

Texto adaptado de "The Clallenge" (O Desafio), escrito e publicado por Robert D e Rick Foster. Autorização para reprodução desde que com os devidos créditos é concedido e estimulado. Tradução de Mércia Padovani. Revisão e adaptação de J. Sergio Fortes (fortes@cbmc.org.com)

 

MANÁ DA SEGUNDA® é uma refelxão semanal do CBMC – Conecting Business and Marketplace to Christ, organização mundial, sem fins lucrativos e vínculo religioso, fundada em 1930, com o propósito de compartilhar o Evangelho de Jesus Cristo com a comunidade profissional e empresarial. © 2007

 

1.  Você pode pensar em alguém – talvez você mesmo – que teve uma ideia incomum que se transformou em um produto ou serviço extremamente inovador? Como foi que surgiu essa ideia?

 

2.  Qual a reação correta quando uma ideia é recebida com oposição e ridicularizada? Como é possível vencer o desânimo e obstáculos aparentemente intransponíveis?

 

3.  Que acha da sugestão do autor que, quando uma ideia é concebida, ao invés de entrar imediatamente em ação, é mais sábio esperar e “dar tempo para que Deus faça o Seu trabalho”. Como saber que a espera já foi suficiente?

 

4.  Como você acha que o processo de orar, planejar e preparar-se pode ser melhor implementado?

 

Desejando considerar outras passagens da Bíblia relacionadas ao tema, sugerimos: Gênesis 1.26-30; 41.25-40; Neemias 2.11-30; Provérbios 3.5-6; Atos 2.17.

 

Para assinar ou cancelar – http://cbmc.org.br/mana.htm

 

Anúncios