Lesões causadas por musculação aumentam nos EUA


 

Lesões causadas por musculação aumentam nos EUA

 

Cada vez mais pessoas estão fazendo musculação hoje em dia.

 

 

Porém, um novo estudo descobriu que, de 1990 a 2007, quase um milhão de americanos acabaram indo parar na emergência com lesões por treinamento de musculação, e que as lesões anuais aumentaram mais de 48% nesse período.

 

Cerca de 82% das 970 mil pessoas lesionadas eram homens, de acordo com o estudo, que apareceu na edição de abril do "The American Journal of Sports Medicine" (os pesquisadores usaram dados de uma base de dados nacional de monitoramento de lesões).

 

Porém, o número anual de lesões em mulheres cresceu mais rapidamente – em 63%, comparado a 46% entre os homens -, talvez porque o treinamento com pesos está se tornando mais popular entre as mulheres.

 

As mulheres tiveram maior tendência a sofrer lesões nos pés e nas pernas, enquanto as lesões dos homens eram mais comuns no tronco e nas mãos; os homens tiveram mais torções e contusões, e as mulheres apresentaram mais fraturas.

 

As pessoas se feriram mais ao deixar cair os pesos, esmagando uma parte do corpo ou sendo atingidas por algum equipamento.

 

Esforço exagerado, lesões musculares e perde de equilíbrio corresponderam a cerca de 14% das entradas nas emergências.

 

Mais de 90% das lesões ocorreram enquanto eram usados pesos livres, em vez de máquinas de musculação.

 

Menos de 2% das lesões resultaram em hospitalização, mas algumas foram fatais: os pesquisadores estimam que 114 mortes em todo o país estiveram relacionadas ao treinamento com pesos ao longo dos 18 anos de estudo.

 

Estimativas sobre o número de pessoas que fazem puxam peso variam, mas de acordo com a Associação Nacional de Bens esportivos 34,5 milhões de pessoas fizeram esse tipo de treinamento nos Estados Unidos em 2009.

 

"Queremos que as pessoas continuem a usar o treinamento com pesos como parte de sua rotina de exercícios físicos", disse uma co-autora do estudo, Christy L.

 

Collins, associada sênior de pesquisa do Nationwide Children’s Hospital, em Columbus, Ohio.

 

Mas, segundo ela, "as pessoas deveriam receber instrução adequada e usar técnicas apropriadas para seus exercícios com peso".

 

"Como pesquisadores", ela continuou, "queremos saber mais sobre essas lesões, para que possamos desenvolver medidas preventivas direcionadas".

 

© 2010 New York Times News Service Tradução: Gabriela d’Ávila

Yahoo! 

Anúncios