Pisando em Ovos


 

Cuidado onde pisa

Bons: sapatos de baixo risco, como tênis atléticos ou comuns

 

Normais: sapatos que apresentam algum risco, como tênis com sola de borracha ou botas de trabalho

 

Ruins: calçados de alto risco, que não oferecem suporte ou estrutura ao pé, como saltos altos e chinelos

 

A pesquisa descobriu que 19% dos homens e 29% das mulheres afirmam sentir dor nos pés frequentemente.

 

Pesquisadores descobriram que usar chinelos, além de ser muito perigoso, muda a maneira do usuário andar e essa mudança sutil pode levar a severos problemas nas solas dos pés, tornozelos e calcanhares.

 

Uso casual de chinelo não causa problemas, eles disseram. Mas a moda do “menos é melhor” moveu os chinelos para além dos domínios das praias, a invadir a área das sandálias mais robustas, tornando-se moda durante o dia ou noite. 7 Grandes benefícios de uma pequena caminhada

 

Os chinelos podem parecer mais confortáveis porque eles mantêm os pés mais frescos. Porém eles não fornecem bom apoio para os pés.

 

Os pesquisadores filmaram 39 voluntários usuários de chinelos e observaram o movimento de juntar os dedos para manter os chinelos presos, enquanto o pé está fora do chão. Este movimento estica a planta do pé, o tecido conectivo que se estende do calcanhar até os dedos, causando inflamação, dor ao longo da sola, calos no calcanhar e pés fatigados em geral.

 

Estes sintomas foram relatados pelos usuários de chinelos da Universidade de Auburn, nos EUA, onde o estudo foi realizado. Um verão inteiro de uso de chinelos mostrou suas conseqüências.

 

Os pesquisadores também perceberam que os voluntários alteraram seu andar, com passos menores e tornozelos voltados para dentro, possivelmente para evitar que os chinelos caíssem. Isso, os pesquisadores desconfiam, pode causar problemas de longo prazo no quadril e tornozelos. Cuidado: Havaianas são perigosas para a saúde

 

Sandálias com alças no calcanhar são mais saudáveis, pois o pé não precisa se contrair para manter o calçado seguro. Estes calçados também oferecem melhor apoio para os calcanhares.

 

Tem louco (a) para tudo!

 

Em NY ( EUA) ontem dia 27, mulheres realizaram uma corrida de 80m, só que usando saltos altos! O intuito do evento era a conquista de um novo record mundial, além de sensibilizar o público sobre o tráfico de crianças. O número de participantes ainda não foi divulgado.

(por portal G1)

 

 

 

Os tipos de terreno na corrida ao ar livre

 

Pista de atletismo – As camadas de borracha proporcionam um ótimo amortecimento e a regularidade do terreno o torna mais seguro. Mas atenção: pistas sem manutenção, gastas e ralas, podem prejudicar seriamente as articulações

 

Areia batida ou terra – O terreno irregular pode aumentar o risco de torções. Em compensação, exige mais esforço e, portanto, proporciona mais perda calórica. Deixa coxas, panturrilhas e glúteos mais firmes

 

Areia fofa – Os passos, aqui, são menos velozes e o movimento exige mais força muscular. Correr na areia fofa pode queimar uma vez e meia mais calorias do que percorrer a mesma distância em uma pista asfaltada. Pode forçar demais os quadris

 

Grama – Reduz o ritmo da corrida, mas, ao exigir mais força, queima mais calorias e melhora a resistência cardiorrespiratória. É um piso bom para se aquecer e se desaquecer antes de treinos no asfalto

 

Tim Tadder/Corbis/Latinstock

 

Asfalto – Favorece a velocidade durante a corrida. No entanto, é a superfície que oferece mais risco de lesões. Não é aconselhável para quem está acima do peso, pois tende a exigir demais dos joelhos e da coluna.

 

(Pesquisa: Hypescience e Veja)

 

Anúncios