Chocolate para respirar, a mais nova arma para emagrecer. Será?


 

Chocolate para aspirar é a nova arma de quem quer perder peso

(Revista Galileu)

 

foto: Divulgação

 

 

Chocólatras de plantão, fiquem atentos! Existe agora um novo jeito de satisfazer o seu vício: aspirar chocolate. Isso mesmo. Surgiu na França o primeiro chocolate para ser inalado, o Le Whif. E segundo seu criador, o professor de Harvard David Edwards, é um método com redução de danos (leia-se: redução de peso). "A massa total de pó de chocolate no Le Whif é 200 miligramas, ou seja, menos do que uma caloria de chocolate", diz ele.

 

Para Edwards, esse também é um meio mais eficiente de consumir chocolate. A razão é simples. Quando você come uma barra de chocolate, muito desse chocolate vai de sua boca à sua garganta sem tocar as suas papilas gustativas (é o famoso "engolir a comida" sem saboreá-la), ou seja, só manda mesmo é mais calorias para dentro do seu corpo. "Quando você aspira o chocolate em pó, ele tem pouca chance de passar pela sua boca sem tocar a sua língua. O design do Le Whif faz com que, quando você inala, o chocolate vá para os lados de sua boca, e não para o fundo de sua garganta. A maioria do chocolate que você aspira, você sente o gosto", afirma o pesquisador.

 

O Le Whif tem um formato parecido com um batom. Por meio de um spray, espirra o chocolate em diversos sabores: com menta, com framboesa, com manga e o tradicional. Ele ainda não é vendido em lojas fora da França. Brasileiros que queiram provar o chocolate de aspirar terão de comprar no site http://www.lewhif.com e pagar 9,90 euros por um pacote com seis refis variados.

 

O Laboratório de Edward em Paris está desenvolvendo mais alimentos para serem aspirados. Eles devem servir para satisfazer a vontade de sabor, mas não pense que vão matar a sua fome. Comidas inaláveis não têm a quantidade suficiente de calorias (e nutrientes) que seu corpo precisa para viver. Mas podem ser uma boa saída para driblar a dieta sem ficar com peso na consciência (ou no estômago) depois.

 

Gazetaonline

 

Anúncios