Seu corpo pede para dormir mais no inverno


 

Seu corpo pede para dormir mais

no inverno

 

O frio e a baixa na claridade fazem você sentir mais sono do que o habitual

 

 

Quando o tempo esfria, aumenta a vontade de ficar na cama e dormir mais. O comportamento, no entanto, está longe de ser pura preguiça. Segundo o médico Luis Vicente Franco Oliveira, Coordenador do Laboratório do Sono da Universidade Nove de Julho UNINOVE, esta é mais uma das adaptações do nosso corpo às mudanças climáticas.

 

"Como o metabolismo fica menos acelerado e o período de sol diminui, nosso organismo acaba ficando satisfeito quando dormimos mais", afirma. "Mas a necessidade de sono, em si, não chega a aumentar. O que aumenta é o nosso conforto quando podemos ficar mais tempo na cama", diz.

 

Quando dorme bem, você fica mais descansado e encara com fôlego as tarefas do dia-a-dia, por mais desgastante que ele seja. Agora, não ache que a eficiência tem a ver com a quantidade de horas dormidas: a qualidade importa muito mais neste quesito e o especialista da Uninove explica os motivos na entrevista que você confere abaixo.

 

Dormir mais, no inverno, é comum? O corpo precisa de mais horas de sono no frio?

Dormir faz bem e é extremamente importante em nossa vida. No inverno dormimos um pouco mais devido à temperatura mais baixa. O metabolismo fica menos acelerado, ficamos mais quietos, mais agasalhados e buscamos lugares mais protegidos. Os dias no período de inverno também são mais curtos e as noites são mais longas, fato que nos induz um pouco mais ao sono. O corpo não precisa de mais horas de sono no inverno, porém as condições climáticas e ambientais do inverno nos induzem a ficar mais tempo recolhidos e mais tempo no leito.

 

Por que temos a impressão de que o sono aumenta quando o tempo esfria?

Realmente é apenas impressão, pois a nossa necessidade de sono está relacionada ao sono e à vigília anteriores e, em média, para adultos o período médio é de oito horas de sono por noite, desde que bem dormidas. È importante considerar que não devemos contar o tempo que ficamos na cama, e sim o tempo real de sono. Não adianta ficarmos brigando com a cama e forçarmos o sono.

 

Dormir demais deixa o corpo mais lento? Por que isso acontece?

Ninguém dorme além do necessário. O organismo controla a necessidade de sono de acordo com a vigília e o sono anterior. Então, a pessoa pode ficar um pouco mais lenta, caso o sono não tenha sido de boa qualidade.

 

Tem como saber a medida ideal de sono? Ou essa medida só vem com tentativa e erro?

Os recém-nascidos apresentam uma necessidade maior de sono, aproximando em 16 horas. Esta necessidade vai reduzindo com o passar da idade.

 

Os adolescentes precisam de, pelo menos, dez horas de sono e os adultos jovens oito horas.

 

Devemos considerar também que existem pessoas que apresentam algumas diferenças em relação à necessidade de sono. Nós temos os pouco dormidores, aqueles se satisfazem com um número menor de horas de sono, de 4 a 6 horas e os grandes dormidores, aqueles que necessitam de uma maior quantidade de horas de sono, por volta de 10 a 12 horas de sono. Normalmente as pessoas encontram a sua necessidade ideal de sono conforme o seu dia-a-dia e de acordo com a sua organização de trabalho.

 

Por que ter interrupções no sono atrapalha o descanso (mesmo com várias horas de sono)?

Realmente, o que importa é a qualidade do sono e não a quantidade. Não significa que se uma pessoa ficar na cama por longas horas tentando dormir ou dormindo que ela despertará bem. Durante o sono, nós temos os despertares que são caracterizados pela tomada de consciência, ou seja, percepção do tempo e espaço e temos os chamados microdespertares, que não são percebidos pela pessoa que esta dormindo, porém são caracterizados por despertares em termos de atividade elétrica cerebral. Quando os microdespertares acontecem por algum motivo, como um movimento de pernas, uma mudança de posição na cama, por um evento de bruxismo de sono e ou por uma apnéia obstrutiva do sono eles fragmentam (interrompem) o sono, cortando um estado profundo ou sono REM para uma fase denominada de sono leve. Sem o sono REM não há como recuperar o cansaço físico e a exaustão cerebral.

 

Quais os benefícios hormonais de uma boa noite de sono?

O sono é necessário para o perfeito funcionamento dos sistemas fisiológicos de nosso organismo, principalmente o sistema nervoso. O sistema hormonal é beneficiado, porque o sono profundo coincide com a síntese várias enzimas e hormônios, entre eles o hormônio do crescimento (GH) em crianças e adultos jovens.

 

Quem faz exercícios e dorme bem alcança resultados melhores no treino (principalmente na musculação)?

Sim. Há fases de sono que são responsáveis pela recuperação da exaustão física e outras que melhoram a atividade nervosa, incluindo a concentração e maior rapidez de respostas e reflexos. Portanto, após os treinamentos, é de extrema importância boas noites de sono, inclusive nas vésperas de provas práticas físicas e também de provas teóricas.

 

Que outros benefícios podemos citar quando há uma rotina de noites tranqüilas de sono?

Vários estudos científicos têm mostrado uma melhor qualidade de vida em pessoas que dormem bem, inclusive com uma maior sobrevida. Observamos um maior índice de alcoolismo, de separação de casais, maior incidência de enfermidades, menor rendimento no trabalho, maior risco de acidentes automobilísticos e de trabalho, depressão e alterações de humor em pessoas que apresentam distúrbios do sono.

 

MinhaVida

Anúncios