Os que as mulheres buscam em uma relação amorosa


 

Os que as mulheres buscam em uma relação amorosa

Por Laila Pincelli*

fffffound!

  

 

Muitas mulheres assumem que estão em busca de um companheiro para namorar e ter um relacionamento sério. No entanto, ao mesmo tempo em que elas mostram dispostas a ter alguém, estão relativamente fechadas e ficam exigentes demais. Criam um funil tão estreito que é difícil alguém passar por ele.

 

A partir dos 30 anos, a mulher deseja, mais intensamente, ter um relacionamento. Nesta fase, porém, além de exigente, torna-se receosa em se envolver demais, ter frustrações e não ser aceita como gostaria. Muitas já têm independência profissional e financeira, maior experiência de vida e de relacionamentos. Parece contraditório todos os sentimentos de insegurança que costumam relatar.

 

O desejo de ter filhos aumenta ainda mais a ansiedade. O que influencia de forma determinante a intensificação deste sentimento é o chamado ‘relógio biológico’. As que tiveram relacionamentos frustrados também se mostram ansiosas demais.

 

No que se refere às exigências, nota-se que as mulheres têm critérios para eleger o homem ideal. Entre eles são mais citados idade próxima à sua; estabilidade financeira; nível sociocultural igual ou superior; disponibilidade para o relacionamento e relação de cumplicidade – não uma situação em que um tenha de cuidar do outro.

 

O que chama a atenção é que elas querem tudo isso, mas não aceitam abrir mão de suas conquistas pessoais como liberdade e autonomia, e, contraditoriamente, esperam um homem provedor e cavalheiro, nos moldes daquele modelo tradicional, anterior ao feminismo. Ela tem seu trabalho e pode até ganhar mais que ele, mas ainda pede o provedor, que cuide dela.

 

Outro fator de grande frustração é a falta de paciência e de disposição – tanto de mulheres quanto de homens – de esperar que a relação se aprofunde um pouco mais para que ambos se conheçam. Sem esse aprofundamento não há tempo de desfazer os medos e compreender melhor a essência e o comportamento do outro. Fica tudo muito superficial.

 

O que costumo dizer às mulheres é que não se apeguem à ‘periferia da essência’, ou seja, atribuir os insucessos à sua aparência – quilos a mais, cabelos crespos… São os sentimentos que dificultam a concretização dos relacionamentos. É preciso deixar de lado as ‘minúcias superficiais’, aceitar-se e saber lidar com seus sentimentos, além de lembrar que o homem também pode fazer suas exigências.

 

*Laila Pincelli é especialista em Terapia Familiar e psicóloga da Clínica da Mulher, em São Paulo.

 

 

Yahoo!

Com tanta liberdade ninguém leva mais nada a sério,
casar para perder a liberdade de viver,
tem que valer muito a pena, ou nada. 

Anúncios