NÃO POR FORÇA NEM POR VIOLÊNCIA, MAS PELO MEU ESPÍRITO


 

NÃO POR FORÇA NEM POR VIOLÊNCIA, MAS
 PELO MEU ESPÍRITO

 

Natal é feriado oficial no Iraque

pela primeira vez

 

 

Os iraquianos celebraram hoje o Natal como feriado oficial pela primeira vez na história. O dia foi um dos mais pacíficos no Iraque desde a invasão do país por tropas estrangeiras lideradas pelos Estados Unidos em março de 2003.

 

 

Ainda assim, a jornada não ficou livre de violência. Um soldado norte-americano morreu num ataque rebelde no norte do Iraque, informou o Exército dos EUA. Em Bagdá e numa cidade próxima, uma pessoa morreu e dezenas ficaram feridas em explosões de carros-bomba.

 

Yahoo! 

 

 

 

Presidente iraniano lê mensagem de Natal polêmica na TV britânica

 

 

LONDRES (AFP) – O presidente iraniano, Mahmud Ahmadinejad, leu nesta quinta-feira uma polêmica mensagem de Natal na TV britânica, na qual afirmava que, se Jesus estivesse vivo, rejeitaria as "potências agressivas e expansionistas".

 

 

O líder da República Islâmica iraniana começa a mensagem felicitando os britânicos e os cristãos pelo aniversário do nascimento de Jesus, que, para o Islã, é um de seus profetas.

 

 

Depois declara: "Se Cristo estivesse no mundo hoje, não há dúvidas de que estaria junto ao povo em sua oposição às potências agressivas e expansionistas".

 

 

"Se Cristo estivesse no mundo hoje em dia, não há dúvida de que exibiria a bandeira da justiça e do amor pela humanidade para se opor aos belicistas, aos invasores, aos terroristas e aos tiranos do mundo", acrescenta.

 

 

Falando em persa, o presidente iraniano afirma que os problemas da humanidade se devem à falta de religião e prevê que Cristo voltará à Terra para "guiar o mundo para o amor, a fraternidade e a justiça".

 

 

Ahmadinejad conclui sua mensagem dizendo que reza "para que o novo ano seja um ano de felicidade, de prosperidade, de paz e de fraternidade para a humanidade".

 

 

O Channel Four escolheu Ahmadinejad para pronunciar o discurso natalino "alternativo" que a emissora transmite todo ano para competir com o da rainha Elizabeth II.

 

 

O governo britânico criticou duramente a difusão da mensagem de Ahmadinejad, que fez no passado "várias declarações anti-semitas horríveis".

 

 

"Os meios de comunicação britânicos são livres e com todo o direito de fazer suas escolhas editoriais, mas esse convite vai suscitar consternação e ultraje não apenas aqui, mas em países amigos", declarou uma porta-voz do Ministério britânico das Relações Exteriores.

 

 

A diretora de informação e temas de atualidade do Channel Four, Dorothy Byrne, declarou que, "como líder de um dos Estados mais poderosos do Oriente Médio, as opiniões do presidente Adhmadinejad tem uma grande influência. (Queremos) oferecer a nossos telespectadores elementos para ter uma visão alternativa do mundo".

 

 

Já o embaixador israelense em Londres, Ron Prosor, classificou a escolha do Channel Four de "escandalosa".

 

 

O diretor do Holocaust Center de Londres, Stephen Smith, chamou de "enganosa" a mensagem de aparência "benévola" do presidente iraniano, que já disse no passado que o Holocausto foi um "mito".

 

 

"As pessoas devem se conscientizar de que um lobo dorme sob a pele de cordeiro. Muitas de suas opiniões políticas e históricas são muito perigosas", declarou.

 

 

Desde 1993, o Chanel Four convida uma personalidade para transmitir uma mensagem natalina alternativa ao tradicional discurso anual da rainha, mas Ahmadinejad é o convidado de maior notoriedade desde então.

 

Yahoo! 

Anúncios