Proteja seus olhos (2)


 

Proteja-se contra a cegueira

IMAGEM: ffffound! 

 

 

(BR Press*) – A OMS (Organização Mundial da Saúde) estima que aproximadamente 10% das pessoas entre 65 e 74 anos e cerca de 30% das com mais de 75 anos tenham DMRI (degeneração macular relacionada à idade) no mundo. De acordo com o Conselho Brasileiro de Oftalmologia, 2,9 milhões de pessoas com mais de 65 anos sofrem do problema no Brasil. A doença é apontada como a principal causa de cegueira irreversível no país e a incidência tende a crescer devido ao envelhecimento da população.

 

 

De acordo com o oftalmologista do Instituto Penido Burnier, Leôncio Queiroz Neto, 80% dos pacientes buscam avaliação médica sem necessidade ou quando a degeneração macular já está avançada. Diferente do que a maioria das pessoas pensa, comenta, a DMRI geralmente não apresenta sintomas em sua fase inicial. Eles só começam a aparecer a partir da fase intermediária, quando o portador nota pontos pretos na visão e as imagens parecem borradas.

 

Os principais sintomas da degeneração macular são visão embaçada no centro da imagem e impressão de que linhas retas parecem sinuosas. Por isso, ressalta, um teste simples que pode ser feito em casa é fixar a moldura de um quadro ou o batente de uma porta. Se as bordas apresentarem irregularidade sinaliza necessidade de avaliação médica. A doença resulta do aparecimento de neovasos ou afinamento e rompimento da retina, camada de células nervosas oculares onde são formadas as imagens, o que prejudica o bom funcionamento da mácula, parte central da retina, responsável pela visão de detalhes.

 

O especialista aponta os principais grupos de risco para desenvolvimento da DRMI:

 

· Pessoas com mais de 50 anos

 

· Olhos e pele claros

 

· Histórico familiar de DMRI

 

· Fumantes

 

· Excesso de exposição à radiação ultravioleta emitida pelo sol

 

· Obesos

 

· Pessoas que foram vitimadas por lesões oculares

 

Envelhecimento

 

Queiroz Neto explica que, conforme envelhecemos a retina recebe menos oxigênio e, para compensar essa deficiência, os vasos sangüíneos começam a se reproduzir descontroladamente. "Eles se rompem e causam uma mancha que prejudica a visão. Esta é a forma úmida ou exudativa da DMRI", explica. Na forma seca, ressalta, a mácula se degenera pela falta de oxigênio e forma uma cicatriz, que causa perda da visão central.

 

No Brasil, "a cultura da pele bronzeada e o alto índice de fumantes são duas variáveis comportamentais que podem contribuir com o aumento da doença no país", comenta. Isso porque o efeito cumulativo da radiação ultravioleta acelera a oxidação da mácula, além de 20% da população adulta brasileira fumar. Desses 28% tem idade entre 45 a 59 anos. No grupo mais jovem (18 a 24 anos) este índice cai para 19%.

 

Cigarro

 

Como a falta de oxigênio tem uma relação direta com a doença, Queiroz Neto afirma que os fumantes apresentam um risco duas a três vezes maior de desenvolver a degeneração macular relacionada à idade, além de apresentarem dobro de chance de ter catarata precoce.

 

O cigarro também acelera a oxidação do organismo. Isso favorece a formação de drusas, que são acúmulos de substâncias nas camadas mais profundas da retina, comenta. As drusas, ressalta, são fortes indicativos de que há propensão para a degeneração macular e mostram que o metabolismo está envelhecendo e não tem mais condições de eliminar as substâncias que produz.

 

(*) Com LDC Comunicação.

 

Yahoo! 

Anúncios