Mais de um milhão de italianos são viciados em sexo


 

Mais de um milhão de italianos são viciados em sexo 

                            

 

 

Segundo o departamento de Saúde, numa notícia publicada na agência italiana AGI, as pessoas com esta desordem psíquica compulsiva costumam também ser dependentes de álcool.

 

A dependência afeta homens e mulheres, com maior incidência no sexo masculino; cerca de 70 por cento de homens contra 20 por cento de mulheres.

 

Na Itália, cerca de 1 a 3 por cento da população adulta sofre desta doença, o que, traduzido em números, implica que quase um milhão e meio de pessoas são sexo-dependentes.

 

Segundo o departamento de Saúde, o vício em sexo desenvolve-se em três fases progressivas: começa com uma masturbação obsessiva, sexo por telefone e fantasias sexuais. Na segunda fase, o viciado é capaz de fazer chamadas obscenas para pessoas desconhecidas, aumentar a apetência para o voyeurismo, exibicionismo e assédio sexual no trabalho.

 

A terceira etapa pode chegar ao sexo com menores, relações sexuais com adultos sob efeito de drogas e, por último, com deficientes e doentes incapacitados.

 

A terapia para este tipo de casos prevê a abstinência de relações sexuais durante pelo menos 90 dias e tratamento psiquiátrico.

 

O Diário de Portugal 

Anúncios