Marcas de um tempo…


 

Marcas, você não consegue ignorá-las.

Por Carlos Magno Gibrail

 

  FOTO: FFFOUND!

 

Você sabia que o som que mais gosta de ouvir, independentemente de seu universo musical, é o do seu nome? E sabia que o seu nome é a sua Marca?

 

Se for daqueles que vivem se preocupando em provar para si e para o mundo que não liga para Marcas, se prepare.

 

Guerreiros ferozes 15 séculos atrás já procuravam espadas com as melhores marcas de mestres artesãos. Masamune, o maior deles, comprovava o êxito da diferenciação.

 

Do feudalismo, com o objetivo de controlar qualidade e produção, até hoje, as marcas não pararam de se desenvolver.

 

Para evitá-las, usufruí-las, conquistá-las ou criá-las é preciso atenção. Al Ries, do “MARKETING DE GUERRA”, diz que um jovem recém-formado conhece 8 mil palavras e num supermercado podemos encontrar mais de 20 mil marcas.

 

Bem, elas invadiram tudo. Melhor entendê-las do que negá-las.

 

A crescente importância das Marcas reflete o benefício que trazem, pois nada mais são do que sinalização de conceitos e qualificações essenciais para que os consumidores possam se basear, diferenciando-as e facilitando o processo de decisão.

 

A evolução está na tendência dos nomes, na criação e na manutenção.

 

De palavras curtas e sonoras, a nomes próprios refletindo o endosso de responsáveis – Carlos Miéle, Tufi Duek, Tereza Santos. Ou benefício dos produtos – Zero Cal, Seda Xampu, Maria Bonita.

 

Também na criação, que pode ser através de produto bem segmentado como foi a Apple, (computadores para design) e recentemente o “Ipod”. Ou da publicidade, como o Gatorade. Produto criado por encomenda do time que ganhou o Superbowl. O técnico perdedor atribuiu, diante da maior audiência americana, que a derrota deveu-se pela bebida usada pelo adversário Gatorade.

 

E também na manutenção, (seguindo Darwin) a adaptação às mudanças faz com que as primeiras posições quase sempre se mantenham. É mais difícil chegar ao topo do que permanecer.

 

Parte das grandes marcas mundiais são cinqüentenárias – Giorgio Armani, Wal-Mart, Dior, Garota de Ipanema, Pelé, Elvis Presley, um punhado centenárias – Coca Cola, Louis Vuiton, – bi centenárias – Baccarat – e tri centenárias – Stradivarius.

 

A ameaça aos consumidores está na oligopolização ou cartelização de alguns setores. Bancos, telefonias, companhias aéreas, serviços médicos.

 

Semana passada conversávamos sobre a inevitabilidade das filas. E agora verificamos tipos diferentes delas, pois nas Marcas desejadas intensamente encontramos a fila do prazer.

 

Paris, Louis Vuitton inaugura loja e enormes filas se formam.

 

New York, Apple tem imensa fila para o Iphone G3.

 

São Paulo, Iron Maiden provoca enorme fila para compra de ingresso.

 

Fonte de inspiração da famosa frase da Marta?

 

Carlos Magno Gibrail é doutor em marketing de moda, está toda quarta-feira aqui no blog e nos demais dias conversando com quem deixar comentários. Ele também já lançou sua marca própria.

 

 Fonte: Blog do Milton Jung

Analisando tudo isso:

 JESUS CRISTO Marca que dura 2008 anos 

sustentando vidas!

Graças a Deus!

Vlw SENHOR! Nome acima de todo nome. 

Anúncios