Conjutivite: evite compartilhar computadores


 

 

Conjuntivite:

evite compartilhar computadores

 

 

 

 

 

 

(BR Press) – A maioria das pessoas acredita que limpar teclado e mouse com álcool retira todos os microrganismos. Não é bem assim. De acordo com o oftalmologista do Instituto Penido Burnier, Leôncio Queiroz Neto, álcool não elimina vírus. Resultado: no inverno aumentam os casos de conjuntivite viral, especialmente entre pessoas que compartilham computadores.

 

 

Isso porque, pessoas contaminadas pelo adenovírus, que provoca a doença, tendem a passar a mão nos olhos deixando o vírus no teclado e mouse. Além disso, comenta, no inverno a baixa umidade do ar reduz as defesas do organismo, principalmente em situações de estresse que predispõem às gripes e resfriados, doenças que dobram o risco de contrair conjuntivite.

 

O frio também resseca as mucosas e a lágrima, cuja função é proteger a superfície ocular. Entre micreiros este ressecamento é ainda maior. "Nossos olhos não foram feitos para fazer leitura vertical. Em frente ao computador piscamos cinco vezes menos e isso diminui bastante a lubrificação dos olhos", afirma.

 

Para piorar, o especialista diz que aglomerações, ambientes pouco ventilados, interruptores de luz, balcões do varejo e carrinhos de supermercado são outros fatores que facilitam a proliferação da conjuntivite viral.

 

Para evitar

 

Por ser altamente contagiosa, causa afastamento do trabalho de até quatro semanas. A prevenção é, portanto, um desafio para a saúde pública. A principal dica do médico para evitar o contágio é sempre lavar as mãos após manusear objetos que foram manipulados por outras pessoas.

 

Ele também recomenda separar fronhas e toalhas, usar lenços descartáveis e óculos escuros que melhoram o conforto ocular, ao mesmo tempo que impedem a proliferação do adenovírus durante a exposição à radiação ultravioleta emitida pelo sol.

 

Sintomas

 

Os principais sintomas da conjuntivite viral são: pálpebras inchadas, vermelhidão, coceira, ardência, sensação de areia nos olhos, lacrimejamento, secreção transparente e fotofobia (aversão à luz). Ao primeiro sinal de desconforto Queiroz Neto diz que o uso de lentes de contato deve ser interrompido.

 

Tratamento

 

Durante dois dias podem ser feitas compressas com gaze embebida em água filtrada gelada. Não desaparecendo os sintomas é necessário consultar um oftalmologista. "Qualquer balconista de farmácia sabe que o tratamento de conjuntivite viral é feito com colírio antiinflamatório", afirma. "O problema é só através do exame da superfície ocular é possível verificar a gravidade da inflamação. Em casos brandos é indicado colírio antiinflamatório não hormonal (sem corticóide) e nas inflamações graves os hormonais que contêm corticóide".

 

Segundo o médico, o diagnóstico sem precisão, adverte, pode não só agravar a doença levando à redução da acuidade visual, como também causar catarata e glaucoma pelo uso prolongado de corticóide.

 

As recomendações para melhorar a produção lacrimal são: beber bastante água para manter o corpo hidratado, posicionar o monitor 20 graus abaixo do nível dos olhos, evitar ambientes com ar condicionado, piscar voluntariamente e olhar para o horizonte 5 minutos a cada hora de trabalho no computador.

  Yahoo!

Anúncios