Apinéia do Sono


 

 

Cirurgia para apnéia do sono

UPFP (uvulopalatofaringoplastia)

 

 

 

O QUE É O RONCO?

 

Antes de comentarmos o tratamento, é importante destacar-se no paciente com queixa de Ronco, as patologias mais graves e suas respectivas diferenças quanto à terapêutica adotada.

 

 

 

TRATAMENTO DA APNÉIA OBSTRUTIVA DO SONO

 

O Ronco pode ser um dos ruídos humanos mais desagradáveis e responsáveis por noites mal dormidas sobretudo do parceiro de cama do roncador. Existe ainda, uma falsa impressão que o roncador dorme bem, geralmente isto não acontece porque não chega a atingir os estágios profundos do sono. O Ronco pode estar associado a doenças chamadas atualmente de "Distúrbios Respiratórios do Sono". Estas São:

1º – Síndrome das Hipopnéias

2ª – Apnéia Obstrutiva do Sono

 

 

No entanto, a doença pode estar somente restrita ao incomodo social, apesar de ser esta uma condição rara. Hoje se sabe que percentagem significativa dos chamados "roncadores sociais" é portadora de Hipertensão Arterial e são considerados em evolução para forma mais graves da doença que chamamos "Apnéia Obstrutiva do Sono".

 

A Apnéia Obstrutiva do Sono é caracterizada por alguns sintomas, destacando-se entre estes a sonolência excessiva diurna, e nos casos graves comprometimento cardio-respiratório importante com presença de Arritmia Cardíaca Noturna, Hipertensão Pulmonar e Cor Pulmonale.

 

Atribui-se a apnéia obstrutiva do sono cerca de 30% da hipertensão arterial e o aumento do índice de infarto agudo do miocárdio. A doença é um dos fatores que vêm aumentando a morbidade de doença como pressão alta e isquemias cardíacas.

 

 

O QUE É APNÉIA OBSTRUTIVA DO SONO?

 

É um colapso e bloqueio repetido da via aérea durante o sono. A obstrução pode ocorrer no nariz, no palato mole ou na base da língua. Esta obstrução leva a ruptura ou fragmentação do sono e a uma queda da oxigenação do sangue.

 

 

 

QUAIS SÃO OS SINTOMAS DA APNÉIA DO SONO? 

 

Muitos pacientes referem:

· Sono Agitado

· Sonolência Diurna

· Deterioração do Intelecto

· Alterações da Personalidade

· Depressão

· Decréscimo do apetite sexual

· Cefaléia matinal

 

 

QUAIS SÃO OS SEUS RISCOS SE NÃO TRATAR A APNÉIA?

 

Há um risco aumentado de problemas cardíacos que incluem: Aumento de pressão arterial. Arritmia cardíaca e infarte do miocárdio. Você também pode apresentar apoplexias. Adicionalmente o ato de dirigir automóvel sonolento, aumenta grandemente o risco de sofrer acidente automobilístico. Nos Estados Unidos, confere notificação compulsória em pacientes portadores de Apnéia Obstrutiva do sono; a carta de habilitação é apreendida e só e devolvida quando o paciente terminar o tratamento.

 

 

QUAIS SÃO AS OPÇÕES DE TRATAMENTO NÃO CIRÚRGICO DA APNÉIA?

 

Pressão Nasal aérea positiva contínua (CPAP)

 

Este tratamento usa uma máscara ao redor do seu nariz para soprar o ar continuamente. Isto previne o colapso de estruturas da via aérea.

 

Pressão aérea positiva em dois níveis (BiPAP)

 

Este tratamento usa uma máscara colocada em torno do nariz a qual sopra o ar numa maior pressão quando você está inspirando do que na expiração. Esta manobra previne o colapso das estruturas da via aérea.

 

Aparelhos Bucais

 

Estes aparelhos, geralmente confeccionados em acrílico, com intuito de tracionar o maxilar inferior ou a língua para frente.

 

 

QUAIS SÃO AS TERAPIAS MÉDICAS ADICIONAIS PARA ABRANDAR A SEVERIDADE DA APNÉIA DO SONO?

 

1 – Perder peso.

2 – Suspender uso de sedativo e álcool.

3 – Posição do corpo ao dormir (bruços, de costas, lateral direito, lateral esquerdo, etc.).

 

 

VOCÊ PODE SER UM CANDIDATO A CIRURGIA SE:

 

1 – Você tem Apnéia do Sono e não teve sucesso no tratamento ou não tolera o CPAP ou outro tratamento alternativo.

2 – Você tem saúde o bastante para se submeter a um procedimento cirúrgico.

3 – A cirurgia é indicada para tratar apnéia do sono  naqueles pacientes que apresentam anormalidades anatômicas que contribuem para a apnéia do sono.

 

 

OPÇÕES DE TERAPÊUTICA CIRÚRGIA

 

· Uvulopalatofaringoplastia

· Abração cirúrgica com rádio freqüência nos cornetos nasais e no palato mole.

· Cirurgia nasal – septoplastia, redução de cornetos e cirurgia de válvula nasal.

· Avanço de genioglosso e língua.

· Suspensão de osso hióide.

· Avanço Maxilo-Mandibular

· Traqueostomia Somnoplastia

 

 

 

DESCRIÇÃO DOS PROCEDIMENTOS CIRÚRGICOS

 

Uvulopalatofaringoplastia – Esta cirurgia é indicada para abrir a via aérea por trás do palato. Se as amígdalas estão presentes, estas são removidas, e o tecido palatino retumbante é também removido e a incisão é fechada com sutura. O procedimento é realizado sob anestesia geral, com internação hospitalar de um ou dois dias.

 

Uvulopalatofaringoplastia a Laser – Esta é realizada par abrir a via aérea atrás do palato. Pode ser realizada sob anestesia local para pacientes com ronco apenas ou apnéia leve. Pode requerer vários atos sucessivos, com pequeno intervalo de tempo entre eles.

 

 

Ablassão Cirúrgica po Radiofrequencia – Esta nova tecnologia usa energia do rádio para reduzir o tamanho dos cornetos nasais, que podem ser causa da obstrução nasal. Também pode reduzir o ronco através da redução do palato mole redundante. Esta técnica é realizada sob anestesia local e esta técnica não produz nenhum desconforto pós – operatório.

 

 

Cirurgia Nasal – Esta é designada para remover a obstrução nasal de qualquer etiologia: – desvio de septo, hipertropia de cornetos, prevenir colapso da válvula nasal. Pode ser associado aos outros procedimentos cirúrgicos.

 

Avanço do Genioglosso e Língua – Este procedimento é realizado para abrir a via aérea por de trás da base da língua. O músculo genioglosso é o músculo que traciona a língua para fora. Durante o sono, este músculo relaxa e freqüentemente a língua cai e oblitera a via aérea.

 

Este músculo se insere no meio do maxilar inferior. Se um segmento de osso onde o músculo está inserido é puxado para frente e fixado, isto pode determinar um aumento da via aérea por de trás da língua.

 

Este procedimento não move os dentes ou os maxilares. Pode ser realizado sob anestesia local, sedação ou anestesia geral.Os pacientes permanecem durante um ou dois dias no hospital.

 

 

Suspensão do osso hióide – Esta técnica também é designada para promover aumento da via aérea por de trás da língua. O osso hióide é um osso do pescoço onde se inserem alguns músculos da língua. Se o osso hióide que contém estes músculos é puxado para fora, para frente, determina aumento do espaço aéreo atrás da língua. Isto é realizada sob anestesia local, sedação ou anestesia geral e o paciente permanece no hospital por um ou dois dias.

 

 

Avanço Maxilomandibular – Este procedimento é designado para abrir a via aérea tanto por de trás do palato como por de trás da base da língua. A operação consiste em Osteotomias (cortes) no osso do maxilar superior e inferior e tração das estruturas esqueléticas para frente. É realizada sob anestesia geral e o paciente permanece internado no hospital por aproximadamente dois dias.

 

Traqueostomia – Este procedimento é designado para promover uma via aérea acessória desviando da área obstrutiva. Uma incisão é feita no pescoço e um tubo de metal ou de plástico é introduzido por esta incisão. Este procedimento é realizado sob anestesia local, sedação ou anestesia geral.

 

O paciente fica internado por aproximadamente três dias para se sentir confortavelmente nesta nova condição. Este procedimento é freqüentemente realizado como condição temporária para promover uma via aérea livre enquanto outros procedimentos estão sendo planejados.

 

  

O QUE É NECESSÁRIO NO PÓS – OPERATÓRIO? 

 

É necessária uma inspeção minuciosa até se completar a cura. Com visualização do calibre da via aérea com fibra óptica e RX. Se você é portador de Apnéia Moderada ou Grave, você precisa usar CPAP nasal, BiPAP nasal ou uma traqueostomia temporária até que estudos prospectivos demonstrem a cura da sua doença. Aproximadamente, quatro a seis meses de pós-operatório, um novo estudo do sono é realizado para avaliar o resultado.

 

 

SOMNOPLASTIA

 

Moderna Tecnologia no Tratamento do Ronco, da Apnéia do Sono e das Rinites

 

 

Utilizando baixos níveis de energia de radiofreqüência, a Somnoplastia foi desenvolvida para produzir a redução de tecidos edemaciados nas vias aéreas superiores (palato, amígdalas, língua, conchas nasais).

 

Através de eletrodos aplicados sobre a área desejada a energia calórica é liberada produzindo coagulação abaixo da mucosa que dentro de um período de 3 a 6 semanas é reabsorvida pelo organismo levando a redução volumétrica dos tecidos.

 

Este tratamento promove a abertura das passagens aéreas sendo indicado nos casos de ronco, apnéia obstrutiva do sono e das rinites. Sendo um método pouco invasivo e de morbidade mínima, é realizado em consultório, durando alguns minutos, sob anestesia local, sem sangramentos, indolor, permitindo ao paciente retorno imediato a suas atividades normais.

 

 O equipamento consiste de um sistema de radiofreqüência de baixa voltagem conectado a eletrodos descartáveis que liberam a energia por uma ou mais agulhas, sendo a quantidade de energia totalmente controlada de acordo com o caso.

 

 

Aplicação sobre o corneto induzido fibrose e retração cicatricial (período 4 a 8 semanas)

 

 

Aplicação sobre a base da língua induzindo fibrose e redução período estimado 4 a 8 semanas podendo ser repetido

 

 

Aplicação do Somnoplasty sobre o palato mole central, induzindo fibrose e retração.

 

 

        http://www.francoerizzi.com.br/apneia_do_sono.htm

Anúncios