Modelos com excesso de gordura e são sedentárias HCor


Modelos têm excesso de gordura
e são sedentárias, diz estudo do HCor
 

Modelos se alimentam mal, são sedentárias e, ainda por cima, têm excesso de gordura corporal. Os dados vêm de uma pesquisa do Hospital do Coração de São Paulo, o HCor, com 26 modelos com idades entre 14 e 24 anos que estão desfilando na São Paulo Fashion Week.

 

O estudo –divulgado ontem durante um café da manhã em que elas aprenderam a comer corretamente– aponta que a alimentação das jovens é deficiente. Elas consomem, por exemplo, 11 miligramas de ferro diárias, quando o ideal são 18 miligramas, e apenas metade do potássio recomendado por dia, que é de 3,4 gramas.

 

Os pratos também têm excesso de proteínas: 19% do total calórico, quando o consumo recomendado é de 15%. "As modelos consomem muita proteína e poucas frutas. Por isso, são desnutridas e têm graves problemas intestinais e metabólicos, além de fraquezas e cansaço crônico", afirma o cardiologista e nutrólogo do HCor Daniel Magnoni.

 

O estudo aponta que apenas 30% das modelos avaliadas fazem exercícios físicos regularmente. "As que não praticam atividade física têm um gasto metabólico menor, além de se alimentarem menos para não engordar", diz Magnoni.

 

A modelo Marina, 15, se inclui neste grupo. Vida corrida, ela diz que só corre na esteira "quando dá". Também se alimentava mal. "Era uma bagunça, tomava café da manhã e não almoçava, não comia frutas. Agora estou procurando comer de três em três horas e evitar as porcarias [chocolates]", diz ela, 1,68 m e 52 quilos.

 

Um dado curioso é que metade das meninas pesquisadas tem gordura corporal superior a 20% do total do peso, quando o ideal é que essa taxa varie de 11% a 20%. E todas elas informaram aos médicos peso de menos e altura demais em média, foram dois quilos a menos e dois centímetros a mais.

 

 

 

 

Anúncios