Eu não sou EMO


Testosterona e Depressão nos Homens

              

 

Nos homens a secreção de testosterona afeta as funções neurológicas e comportamentais como o interesse sexual, agressividade, grau de emoções.

 

A partir dos 50 anos de idade aproximadamente, começa a diminuir lentamente a secreção de testosterona. Cerca de 20% dos homens com mais de 60 anos de idade têm os níveis desse hormônio abaixo do "normal". As seqüelas psiquiátricas disso ainda não foram satisfatoriamente compreendidas.

 

Existem algumas evidências da relação entre a queda dos níveis hormonais e o surgimento de depressão. Essas informações são derivadas de dois tipos de estudos: observação do comportamento dos homens com níveis baixos de testosterona circulante, e do tratamento dos sintomas depressivos com reposição hormonal complementar.

 

A testosterona é um hormônio de interação social; é secretado em resposta a estímulos sociais como situações que despertam o interesse sexual, a hostilidade ou o humor, pois age diretamente no cérebro.

 

Não se tem certeza ainda se os sintomas depressivos são causa, efeito ou se não têm relação alguma com os níveis de testosterona no homem.

 

Muitos casos de depressão resistente nos homens podem ter na deficiência de testosterona (a exemplo do que acontece com o estrogênio com a mulher) sua explicação.

 

Talvez alguns homens deprimidos com baixos níveis de testosterona só se recuperem adequadamente depois de se normalizar os níveis dos hormônios masculinos.

 

Mais estudos são necessários para se confirmar esta necessidade; enquanto isso os psiquiatras devem trabalhar conjuntamente com os endocrinologistas quando houver algum caso de depressão resistente com baixos níveis de testosterona

 

Terapia de Reposição hormonal para Homens Deprimidos Refratários com Hipogonadismo

 

A terapia de reposição de testosterona é um tratamento eficaz para alguns homens deprimidos com hipogonadismo, e pode potencializar o tratamento daqueles que apresentaram resistência aos inibidores da recaptação da serotonina(ISRS).

 

Foram tratados 5 homens com baixos níveis de testosterona e falta de resposta aos ISRS com 400mg de testosterona complementar duas vezes por semana durante 8 semanas.

 

Quatro pacientes continuaram com placebo depois desse período. Escalas de avaliação padronizadas foram usadas para medir as variações dos sintomas durante o período de acompanhamento.

 

A média de idade desses pacientes era de 40 anos e apresentaram uma marcante melhora dos sintomas depressivos depois da reposição dos androgênios.

 

Três dos quatro que continuaram tomando placebo apresentaram recaída com a diminuição dos hormônios masculinos.

 

Os autores concluíram que a reposição dos hormônios androgênicos em baixa é um tratamento eficaz para alguns homens

 

 

Referência Biblio.

Am J Geriatr Psychiatry 1999; 7:18-33,

Testosterona e Depressão nos Homens

J Affect Disord 1998; 48:157–161

Testosterone replacement therapy for hypogonadal men with SSRI-refractory depression.

Seidman SN

Psicosite

Anúncios